segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

LINUS PAULING

Linus Carl Pauling nasceu em Portland, Estados Unidos, há exatos 110 anos, em 28 de fevereiro de 1901.

Químico quântico e bioquímico, também é reconhecido como cristalógrafo, biólogo molecular e pesquisador médico.

Pauling é amplamente reconhecido como um dos principais químicos do século XX.

Foi pioneiro na aplicação da Mecânica Quântica em Química.

Em 1954 foi premiado com o Nobel de Química pelo seu trabalho relativo à natureza das ligações químicas.

Também efetuou importantes contribuições relativas à determinação da estrutura de proteínas e cristais, sendo considerado um dos fundadores da Biologia Molecular.

Durante as suas investigações esteve perto de descobrir a estrutura em hélice dupla do DNA, descoberta essa efetuada mais tarde por James Watson e Francis Crick, em 1953.

Linus Pauling é ainda referenciado como sendo um acadêmico versátil, devido à sua intervenção e perícia em campos diversos como a Química Inorgânica, Química Orgânica, Metalurgia, Imunologia, Anestesiologia, Psicologia e Radioatividade.

Pauling recebeu o Nobel da Paz de 1962, pela sua campanha contra os testes nucleares e é a única personalidade a ter recebido dois Prêmios Nobel não compartilhados.

Anos mais tarde advogou o uso em maiores proporções, em dietas, de vitamina C e outros nutrientes.

Generalizou as suas ideias nesta área com vista a definir Medicina Ortomolecular, que ainda é vista como método não ortodoxo pela Medicina convencional.

Pauling popularizou as suas ideias, análises, pesquisas e visões em várias publicações de sucesso, mas controversos, sobre a temática da vitamina C e Medicina Ortomolecular.

A contribuição de Linus Pauling para o desenvolvimento científico no século XX é de especial importância.

Pauling integrou uma lista com os vinte maiores cientistas de todos os tempos, segundo a revista britânica New Scientist.

Linus Pauling é, a par de Albert Einstein, a única personalidade do século XX a aparecer na dita lista.

Linus Pauling é considerado um dos maiores pensadores e visionários do milênio, juntamente com Galileu, Newton e Einstein.

Outro aspecto de relevo em Pauling é a diversidade de suas investigações.

Linus Pauling moveu-se em diversas áreas, fazendo contribuições importantes em Mecânica Quântica, Química Quântica, Química Inorgânica, Química Orgânica, Bioquímica, Biologia Molecular e Medicina, trazendo contribuições especialmente significativas nas fronteiras entre as ditas áreas.

As suas investigações sobre a natureza das ligações químicas marcaram o início da Química Quântica, e muitos conceitos inovadores, como a hibridização de orbitais atômicas e a eletronegatividade, fazem parte das bases da Química moderna, ainda que a teoria da hibridização fosse substituída pela teoria de orbitais moleculares de Robert Mulliken.

Ainda que a teoria de Pauling falhasse ao não descrever quantitativamente algumas das características moleculares, como a natureza paramagnética do oxigênio, ou a cor dos compostos organometálicos, a sua simplicidade fez com que perdurasse nos livros de química.

O trabalho de Pauling sobre a estrutura cristalina contribuiu para o avanço na predição e entendimento das estruturas dos minerais.

As suas descobertas sobre a alfa-hélice e a folha-beta estabeleceram a base para a compreensão e estudo da estrutura das proteínas.

Na sua época, Pauling era comumente chamado de pai da Biologia Molecular.

Desde a altura em que Pauling entendeu que a anemia falciforme era uma enfermidade com bases moleculares, abriram-se as portas para o exame das mutações genéticas a um nível molecular.

Ainda que grande parte da comunidade científica não comungasse com as conclusões de Pauling nas suas investigações médicas a respeito do consumo de vitaminas, a participação dele na polêmica levou o público a sensibilizar-se para a importância do consumo de vitaminas e minerais na prevenção de doenças.

A firme posição de Pauling nesta controvérsia ajudou também a redobrar os esforços que outros investigadores dedicaram a este campo, incluindo os que laboram no Instituto Linus Pauling, onde uma dezena de investigadores e acadêmicos exploram a importância dos micronutrientes na saúde humana.

Linus Pauling faleceu em 19 de agosto de 1994, na Califórnia, Estados Unidos, aos 93 anos.

Linus Pauling

domingo, 27 de fevereiro de 2011

FLAMENGO E CRICIÚMA VENCEM PRIMEIRO TURNO DE ESTADUAIS

Na decisão do primeiro turno do Campeonato Carioca.

O Flamengo bateu o Boavista hoje à tarde no Maracanã.

Um gol de falta de Ronaldinho Gaúcho no segundo tempo.

Deu o título da Taça Guanabara ao time rubro-negro.

O Flamengo está na final do Campeonato Carioca.

E irá para a disputa do segundo turno.

Teve também decisão no Campeonato Catarinense.

O Criciúma bateu o Figueirense em Florianópolis por 1 a 0.

Também com um gol de falta, mas no primeiro tempo.

O Criciúma está na final do Campeonato Catarinense.

E também irá para a disputa do segundo turno.

Outros Estaduais tiveram jogos decisivos.

No Cearense, semifinais do primeiro turno.

O Ceará goleou o Horizonte por 4 a 0.

E o Fortaleza venceu o Guarani de Juazeiro por 2 a 0.

Os clubes da capital irão decidir o primeiro turno.

Semifinais do 1o. turno também no Campeonato Gaúcho.

O Grêmio venceu o Cruzeiro por 4 a 2.

O Caxias conseguiu a classificação apenas nos pênaltis.

Após empatar com o São José por 1 a 1.

Grêmio e Caxias farão a decisão do primeiro turno.

Definidos os semifinalistas do primeiro turno no Paraense.

A liderança mudou de dono na última hora.

O Remo venceu o Independente por 1 a 0.

E assumiu a ponta, graças ao tropeço do Paysandu.

Derrota por 3 a 2 para o São Raimundo.

Apesar da derrota, o Independente classificou-se.

Ficou em 3o. lugar.

Cametá e Tuna Luso empataram em 2 a 2.

E o Cametá ficou com a quarta vaga.

Numa das semifinais, Remo x Cametá.

Na outra, Paysandu x Independente.

O primeiro turno também encerrou-se no Paranaense.

O Coritiba já havia garantido a conquista domingo passado.

Hoje derrotou o Cianorte por 2 a 1.

O Operário de Ponta Grossa foi o 2o. lugar, 7 pontos atrás.

O Paraná venceu hoje a primeira partida no campeonato.

2 a 0 sobre o Cascavel.

O Paraná fechou o primeiro turno na última colocação.

Pelo Campeonato Paulista.

São Paulo e Palmeiras empataram em 1 a 1 no Morumbi.

O resultado pôs o Mirassol na liderança da primeira fase.

O time do interior venceu o Paulista fora de casa por 2 a 0.

O Corinthians também venceu e está junto do Mirassol.

Ambos com 22 pontos.

O Timão goleou o Grêmio Prudente por 4 a 0.

O Santos não passou de um empate com o São Bernardo.

Ponte Preta, Oeste, Mogi Mirim e Ituano venceram.

Pela Série A-2 do Paulista.

A Catanduvense perdeu do Comercial no último minuto.

Mas ainda é a líder isolada do Grupo 1.

O Comercial vem em seguida quatro pontos atrás.

O Rio Preto venceu o Sertãozinho e está em terceiro.

A Ferroviária empatou com o Marília e está em quarto.

O Atlético Sorocaba permanece na frente no Grupo 2.

Empatou com o Guarani em Campinas por 1 a 1.

O São José venceu o São Bento e passou o Bugre.

Amanhã tem XV de Piracicaba x Red Bull.

Pela Série A-3 do Paulista.

A Penapolense segue firme na frente do Grupo 1.

Venceu hoje o Lemense por 3 a 0.

O Santacruzense está em segundo lugar.

Venceu hoje o Francana, que está em terceiro, por 1 a 0.

O São Carlos venceu o Osvaldo Cruz por 3 a 1 e é o quarto.

O Grupo 2 é liderado pelo Taubaté.

Que hoje empatou com o Taboão da Serra por 1 a 1.

O Grêmio Osasco venceu a Inter de Limeira por 1 a 0.

E é o segundo lugar.

O terceiro lugar do grupo é ocupado pelo Velo Clube.

Que venceu o Flamengo por 3 a 0.

Fechando a zona de classificação do grupo, o Paulínia.

Que empatou fora de casa com o Barueri por 1 a 1.

Pelo Campeonato Mineiro.

O América venceu hoje o clássico contra o Atlético.

2 a 1, dois gols de Fábio Júnior.

O Coelho passa a ser líder da primeira fase.

Seguido pelo Atlético e pelo Cruzeiro.

O time estrelado venceu o América de Teófilo Otoni.

2 a 1 com um gol contra no último minuto.

O quarto colocado é o Villa Nova.

Que hoje empatou com o Guarani de Divinópolis por 2 a 2.

Pelo Campeonato Baiano.

O Bahia dessa vez fez sua parte.

Goleou o Fluminense de Feira por 4 a 0.

Embora permaneça em quinto lugar no Grupo 1.

O Bahia de Feira perdeu para o Vitória por 2 a 0.

Mas permanece na liderança deste Grupo 1.

O Vitória lidera o Grupo 2.

Seguido do Feirense, que ontem venceu o Atlético por 2 a 1.

Pelo Campeonato Goiano.

Atlético e Anapolina vão disputando a ponta da primera fase.

O tricolor da capital venceu o Morrinhos por 4 a 0.

O time do interior venceu o Santa Helena por 3 a 2.

Vila Nova e Goiás vêm em seguida.

No duelo entre ambos hoje em Goiânia.

O Verdão bateu o Alvirrubro por 2 a 1.

O CRAC tropeçou no Aparecidense, empate em 2 a 2.

E ficou três pontos atrás da zona de classificação.

Pelo Campeonato Brasiliense.

O Brasiliense segue na liderança.

Apesar do empate com o Botafogo por 1 a 1.

O Formosa bateu o Brasília por 1 a 0.

E assumiu o segundo posto.

O terceiro lugar é do Gama.

Que hoje venceu o CFZ por 4 a 1.

Pelo Campeonato Potiguar.

O Santa Cruz venceu o Alecrim por 2 a 0.

E continua na liderança da primeira fase.

Seguido pelo ABC, que venceu o Centenário por 3 a 1.

E pelo América, que venceu o Coríntians por 2 a 0.

Pelo Campeonato Alagoano.

Corinthians e Murici brigam palmo a palma pela liderança.

Venceram Coruripe e CSA hoje, respectivamente.

O ASA venceu o Sport Atalaia por 3 a 2.

E assumiu a terceira colocação.

Amanhã tem CRB x CSE.

Pelo Campeonato Amazonense.

O Fast Clube isolou-se na liderança.

Venceu ontem o Rio Negro por 1 a 0.

Operário, Nacional e Peñarol vêm em seguida.

Pelo Campeonato Capixaba.

O Vitória ganhou do Serra por WO.

E é o líder da primeira fase.

O Linhares venceu o São Mateus por 2 a 1.

E está na segunda colocação.

E o Rio Branco venceu o Colatina, também por 2 a 1.

E é o terceiro colocado.

Pelo Campeonato Paraibano.

O Treze segue 100%.

Venceu o clássico contra o Campinense por 2 a 1.

É o líder, seguido do próprio Campinense.

O terceiro colocado é o CSP.

Que hoje venceu o Miramar por 4 a 2.

Amanhã tem Auto Esporte x Botafogo.

Pelo Campeonato Sergipano.

Três times na liderança do Grupo A.

Itabaiana, Guarany e Confiança, todos com oito pontos.

O River Plate continua mandando no Grupo B.

Venceu hoje o São Domingos.

E está seis pontos à frente do segundo lugar, o Sergipe.

Pelo Campeonato Matogrossense.

O Luverdense venceu o Sorriso por 1 a 0.

E está na frente do Grupo A.

E o Barra do Garças venceu o Primavera por 3 a 2.

E é o líder do Grupo B.

Hoje teve início o Campeonato Maranhense.

Um jogo apenas na abertura, válido pela quarta rodada.

Cordino 3 x 2 Bacabal.

Os próximos jogos apenas nos dias 12 e 13 de março.

E finalmente pelo Campeonato Pernambucano.

Novo líder no certame de 2011.

O Náutico goleou a Cabense por 4 a 1.

E assumiu a liderança da primeira fase com 31 pontos.

Seguido do Central, um ponto atrás.

Hoje a Patativa venceu o América por 3 a 2.

O Santa Cruz caiu para o terceiro lugar.

Após a derrota de ontem para o Araripina por 1 a 0.

O Sport passou a ocupar uma vaga no G-4.

Venceu hoje o Ypiranga por 2 a 1 fora de casa.

E contou com a derrota do Porto para o Salgueiro por 3 a 1.

E o Petrolina venceu a Acadêmica Vitória por 2 a 1.

Quarta-feira?

Jogos da volta da primeira fase da Copa do Brasil.

Para definição dos treze últimos classificados.

Sport e Náutico estarão em ação...

GRUPO DE BRASILEIROS DEVE CHEGAR A RECIFE AMANHÃ À TARDE *

Os 148 brasileiros que estavam em Benghazi, na Líbia, devem chegar ao aeroporto de Recife no fim da tarde desta segunda-feira, de acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores.

São funcionários da empreiteira Queiroz Galvão que trabalhavam em obras de infraestrutura em seis cidades no nordeste da Líbia e seus familiares.

Segundo o Ministério, eles virão em um voo de carreira fretado pela empresa e depois de desembarcar em Recife, seguem para cidades diferentes.

O voo, com saída prevista para às 3h (horário de Brasília) de segunda-feira, fará uma escala em Lisboa, Portugal.

O grupo desembarcou às 2h30 deste domingo em Atenas, na Grécia, e foi recepcionado pelo embaixador do Brasil no país, Otto Agripino Maia.

O Itamaraty montou uma operação para providenciar os documentos necessários para a saída dos brasileiros da Grécia.

Um avião procedente de Roma chegou a São Paulo ontem de manhã trazendo brasileiros da Líbia.

Ali Raad, 32, José Morivaldo de Melo, 55, e Eduardo Chaalan Bitar, 36, funcionários da construtora Andrade Gutierrez, deixaram o país africano na quinta-feira.

"O aeroporto de Trípoli estava lotado, caótico", relata o economista Raad.

"Foi muito difícil sair de lá. Conseguimos fechar o nosso escritório no país. Nossos operários, que são do Vietnã, embarcaram conosco para Malta". De lá, foram à Itália.

Melo, há um ano e nove meses na Líbia, relata que viu, nos últimos dias em Trípoli, pessoas comprando mantimentos e as ruas da cidade ficando vazias.

As únicas cenas de violência que presenciou foram no aeroporto, com policiais agredindo pessoas.

Bitar, que passou pouco mais de 11 meses na Líbia como funcionário da área financeira, conta que no centro da cidade e em pontos específicos fora da capital havia "um embate".

"Vimos o Exército passar. Ficamos tensos. Desde segunda-feira, ouvíamos barulho de tiros, bombas. Mas não cheguei a ver mortos", declarou ele.

Brasileiro acena com bandeira do Brasil na chegada de navio em Malta, após fuga da Líbia

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou na noite deste sábado (26), por unanimidade, sanções severas contra o líder líbio Muammar Gaddafi, seus familiares e integrantes de seu círculo político. Essas sanções incluem a proibição das viagens de Gaddafi e o congelamento de seus bens.

A resolução aprovada pelo conselho de 15 nações também inclui uma referência a Corte Internacional de Haia a respeito da repressão das forças governamentais contra as manifestações populares, para posterior investigações de quaisquer responsáveis pela morte de civis.

A resolução aprovada tem por objetivo "atingir a ampla e sistemática violação de direitos humanos, incluindo a repressão de protestantes pacíficos".

Os membros também manifestaram preocupação pela morte de civis, "rejeitando inequivocamente o incitamento de hostilidades e violências contra a população civil feita pelas mais altas autoridades do governo líbio".

A decisão das Nações Unidas ocorre na sequência de medidas semelhantes já adotadas pelos EUA.

Obama assinou uma ordem executiva para congelar todos os ativos de Gaddafi, sua família e membros de seu regime.

Ontem, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ordenou sanções econômicas aos ativos do ditador e seu a família e mais tarde afirmou que Gaddafi teria "de sair do poder agora".

Os governos da Alemanha, Reino Unido e França apoiaram a decisão de Obama e pediram sanções severas ao país em conflito.

* Publicado no UOL às 12:45 hs.

CIDADE A 50 QUILÔMETROS DE TRÍPOLI, CAPITAL DA LÍBIA, PASSA AO CONTROLE DA OPOSIÇÃO *

A oposição líbia tomou o controle da cidade de Zawiya, a 50 quilômetros a oeste de Trípoli, embora a cidade esteja rodeada por tropas leais ao ditador Muammar Kadafi e haja o receio de ataque próximo, informou neste domingo a rede de televisão "Al Jazeera".

"Esperamos um ataque a qualquer momento", disse por telefone à emissora uma pessoa identificada apenas como Ezeldina, moradora de Zawiya, agora a cidade mais próxima a Trípoli controlada por forças da oposição.

Os moradores de Trípoli formaram longas filas neste domingo em frente aos bancos para retirar os 400 dólares prometidos na sexta-feira pelo regime de Muamar Gaddafi, segundo uma testemunha.

"Sinto dizer que há muita gente em frente aos bancos de Trípoli", declarou essa testemunha que pediu para não ser identificada, contatada por telefone.

Para tentar frear a revolta, o regime anunciou na sexta-feira uma ajuda de 500 dinares às famílias líbias, assim como um aumento de 150% no salário de alguns servidores.

A mensagem foi enviada por SMS aos bairros onde não foram registradas manifestações, e neste domingo, primeiro dia de abertura dos bancos após o anúncio, diversos moradores de Trípoli aproveitaram para sacar o dinheiro, explicou essa testemunha.

Junto aos bancos, alguns comércios voltaram a abrir suas portas.

A gasolina e o pão estão sendo submetidos a racionamento, e muitos tentavam comprar fogões elétricos pelo fato de não haver mais botijões de gás.

A situação parecia estabilizar-se neste domingo na capital, cujos postos de controle vigiavam a entrada e saída de moradores.

Já não eram ouvidos tiros, segundo a testemunha.

Um grupo de jovens preparava uma nova manifestação na capital, mas outros opositores tentavam fazê-los mudar de opinião.

"Se houver novas manifestações, Gaddafi vai continuar matando", explicou a testemunha.

No bairro de Al Tejura, os opositores foram convidados a gritar "Deus é grande" no telhado como sinal de protesto.


O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) decidiu ontem (sábado, 26) congelar os bens do ditador da Líbia, Muammar Gaddafi e de outros cinco membros de sua família.

A medida faz parte de sanções impostas pelo Conselho por conta da sangrenta repressão feita pelo ditador aos manifestantes que exigem sua renúncia.

Além dos bens congelados, os membros do Conselho aprovaram, por unanimidade, a proibição de viagens do líder da Líbia e de alguns de seus familiares e o embargo na venda de armas.

* Publicado no UOL às 11:41 hs.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

MOHAMMED V DO MARROCOS

Sidi Mohammed ben Yusef, mais conhecido como Mohammed V, nasceu em Fez, no Marrocos, em 10 de agosto de 1909.

Foi Sultão de Marrocos de 1927 a 1953 e depois Imperador de 1955 até 1961.

Era filho do sultão Yusef, a quem sucedeu no trono do sultanato.

Era membro da Dinastia Alaoui.

Em 20 de agosto de 1953, os franceses, que nessa data ocupavam Marrocos, forçaram Mohammed V e a sua família a exilar-se na Córsega, pelo apoio que davam ao movimento nacionalista que, após a Segunda Guerra Mundial, estava a germinar em Marrocos, colocando no trono o seu parente Mohammed Ben Arafa.

Mohammed V e sua família mudaram-se em seguida para a ilha de Madagascar, em janeiro de 1954.

Voltou do exílio em 16 de novembro de 1955, depois de realizar uma ativa oposição ao protetorado francês.

Em fevereiro de 1956 negociou exitosamente com a França a independência de Marrocos e em 1957 tornou-se Imperador.

Uma das suas esposas era Lalla Abla bint Tahar, mãe do seu filho e sucessor Hassan II.

Mohammed V faleceu há exatos 50 anos, em 26 de fevereiro de 1961, em Rabat.

Mohammed V, Rei do Marrocos

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

JOGOS PAN-AMERICANOS

Após as Olimpíadas de 1932, inspirados pela realização dos Jogos Centro-Americanos e do Caribe, alguns membros latino-americanos do COI propuseram uma espécie de "competição regional" entre as Américas, com o intuito de desenvolver o esporte na região.

A ideia acabou por concretizar o I Congresso Esportivo Pan-americano, no ano de 1940, no qual ficara definido que os primeiros Jogos Pan-Americanos seriam realizados na capital argentina, dois anos mais tarde.

Em virtude do ataque japonês a Pearl Harbour (Havaí), em dezembro de 1941, e da entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, os mesmos não puderam ser disputados.

Encerrados os conflitos, após as Olimpíadas de 1948, um novo congresso confirmou Buenos Aires como a primeira sede dos Jogos Pan-Americanos, que se realizariam no ano de 1951.

Esta edição teve sua abertura há exatos 60 anos, em 25 de fevereiro de 1951 e contou com a participação de 2.513 atletas advindos de 21 países, que disputaram provas em dezoito esportes.

A Argentina, anfitriã, conquistou 47% das medalhas de ouro.


Quatro anos mais tarde foi criada a Organização Desportiva Pan-americana (ODEPA), sediada na Cidade do México.

Formada por 42 países do continente, a ODEPA é responsável pela realização dos Jogos Pan-Americanos.

Desde a primeira edição, o número de atletas, países participantes e modalidades disputadas quase dobrou.

Os Jogos Pan-Americanos acontecem a cada quatro anos e, tradicionalmente, seguem um rodízio entre as três regiões do continente: América do Sul, Central e do Norte.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

JOSÉ AGUSTÍN ARANGO

José Agustín Arango nasceu na Cidade do Panamá, há exatos 170 anos, em 24 de fevereiro de 1841.

Filho de pai cubano e mãe panamenha, era um empresário e banqueiro apaixonado pelos seus ideais.

Apesar disso, nunca pertenceu a um partido político até o movimento de emancipação do istmo do Panamá em 1903.

Ele é considerado um dos fundadores do Panamá, visto ser o líder mais inspirador para obtenção da independência da Colômbia, contribuindo como chefe da Junta Patriótica.

Arango foi nomeado para vários cargos representando os interesses do Panamá: representante panamenho no Senado da Colômbia (1903), presidente da Junta Provisória do Panamá (1903-1904) e representante panamenho em Washington (1907).

Ele se comprometeu a defender o que considerou um passo muito importante para o progresso econômico do Panamá: a construção do canal através do istmo do Panamá.

Como representante do Governo do Panamá, ele se recusou a participar nas reuniões do Congresso na Colômbia, devido seu conhecimento de que a Colômbia era contra uma negociação com o governo dos EUA para a construção de um canal interoceânico.

Arango liderou o movimento de independência do Panamá ante a Colômbia, para que depois, como um país soberano, o Panamá iniciasse as negociações bilaterais para assinar um tratado para a construção do Canal do Panamá.

Faleceu em 10 de maio de 1909, ocasião em que era Secretário de Relações Exteriores do Panamá.

José Agustín Arango

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

SENADORES REJEITAM EMENDAS, E REAJUSTE DO MÍNIMO FICA EM R$ 545 *

Depois de aprovar o texto-base que fixou o reajuste do salário mínimo em R$ 545, os senadores rejeitaram as duas emendas que poderiam mudar o valor na sessão desta quarta-feira (23): a emenda do PSDB que pedia o valor de R$ 600 foi rejeitada por 55 votos contra, 17 a favor e cinco abstenções; e a emenda do DEM, que pedia R$ 560, foi rejeitada por 54 votos - 19 votaram a favor e quatro se abstiveram.

Também foi rejeitada a emenda que pedia a retirada do artigo que definia o ajuste do mínimo nos próximos anos por decreto presidencial.

A emenda foi rejeitada por 54 votos; 20 votaram a favor e três se abstiveram.

Desta forma, o projeto foi aprovado sem modificações e segue para sanção da presidente Dilma Roussef, que se sancioná-lo até o fim do mês, o mínimo de R$ 545 passa a valer a partir de março.

Os senadores aprovaram o relatório do líder do governo na Casa, Romero Jucá (PMDB-RR), com parecer favorável aos R$ 545 defendidos pelo Executivo e com uma política de reajustes até 2015.

Jucá foi vaiado por representantes das centrais sindicais, que defendem um reajuste de ao menos R$ 560.

“Não estamos aprovando aqui um salário mínimo somente de R$ 545 para este ano, nós estamos aprovando um salário em média de R$ 620 para o ano que vem, de R$ 680 para daqui a dois anos, e por aí em diante”, afirmou Jucá.

O relator destacou logo no início de seu parecer a importância de parlamentares da base aliada, citando o senador petista Paulo Paim (RS), que trabalhou, nas palavras deles, com o governo e com as centrais sindicais para elaborar uma política de recuperação do salário mínimo.

Paim defendia um reajuste de R$ 560, mas recuou nesta quarta-feira após conversa com o Planalto.

O peemedebista também frisou que não há inconstitucionalidade no texto do projeto no que se refere a colocar na proposta o termo "decreto" em vez de projeto de lei.

“O projeto fixa o valor do percentual de 2012, 2013, 2014 e para o ano de 2015 e fixa também para o ano de 2011 os R$ 545 e define que este valor será definido como o Congresso está votando (...). Portanto o decreto que faz menção a esta lei, é apenas um instrumento informativo do valor determinado em lei”, justificou.

Na terça-feira (22), emissários do Palácio do Planalto repetiram a empreitada realizada na Câmara há uma semana: o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, e funcionários do Ministério da Fazenda conversaram com senadores para pedir apoio.

A pressão do governo foi tão forte que até o senador Paulo Paim (PT-RS), que cogitou propor reajuste maior depois da votação na Câmara, mudou de ideia.

Apenas depois de ser aprovado o novo salário mínimo o governo vai apresentar uma medida provisória para corrigir a tabela de Imposto de Renda para pessoa física em 4,5%.

Ainda não está claro se o Palácio do Planalto quer um ajuste apenas para 2011 ou se terá formulada uma política para os próximos anos, como no caso do salário mínimo.

"O que estamos fazendo é corrigir a tabela pela meta inflacionária. Como a meta é 4,5%, a correção é 4,5 (%)", disse o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio.

* Publicado no UOL às 22:44 hs.

APÓS PERDER REGIÃO LESTE, DITADOR REFORÇA TROPAS NO OESTE DA LÍBIA *

Após perder o controle da região leste da Líbia - onde está a cidade de Tobruk e grande parte dos campos produtores de petróleo - o ditador Muammar Gaddafi enviou mais tropas à capital Trípoli e à região oeste do país, em meio a relatos da oposição de que ao menos uma cidade nesta parte da Líbia já estaria em seu controle.

Mais de 640 já morreram no país, de acordo com grupos de direitos humanos.

Em Trípoli moradores indicaram que a presença de membros de milícias e mercenários estrangeiros contratados pelo governo aumentou consideravelmente e que as trocas de tiros nas ruas têm ficado mais violentas.

"Muitas pessoas estão com medo de deixar suas casas em Trípoli já que atiradores de milícias pró-Gaddafi estão nas ruas ameaçando qualquer um que se junte em grupos", disse o tunisiano Marwan Mohammed, logo após cruzar a fronteira com a Tunísia.

As manobras de Gaddafi, que chegam horas após dois pilotos terem se ejetado de um jato de guerra que caiu em Benghazi, são vistas pela mídia internacional como "desesperadas" e indicam que a perda de controle do país tende a aumentar.

A oposição afirma ter tomado o controle de Misrata, uma das maiores cidades da parte oeste da Líbia onde o ditador já não teria mais o poder.

Intensos confrontos também já foram registrados em Sabratha, a oeste de Trípoli, onde soldados e mercenários tentam a todo custo retirar os manifestantes que cercaram prédios do governo.

O ditador conclamou seus defensores para uma grande manifestação em seu apoio na praça Verde, em Trípoli, mas menos de 150 pessoas apareceram, carregando seu retrato e a bandeira da Líbia.

Mais cedo um avião das Forças Aéreas da Líbia caiu perto de Benghazi (leste) depois que sua tripulação se recusou a obedecer as ordens de bombardear a cidade e se ejetou da aeronave - uma Sukhoi-22 de fabricação russa -, caindo em segurança em terra firme com a ajuda de paraquedas.

As informações são do jornal líbio "Quryna", que cita uma fonte militar.

De acordo com um coronel de uma base aérea perto de Benghazi, os tripulantes seriam o capitão Attia Abdel Salem al Abdali e seu número dois, Ali Omar Gaddafi.

Ali Omar Gaddafi é da mesma tribo do ditador Muammar Gaddafi, os Gadhadhfa, disse Farag Al Maghrabi, morador que viu os pilotos e os destroços do jato.

Al Maghrabi disse que a aeronave caiu em uma área deserta nos arredores do porto de Breqa, sem causar maiores danos.

A recusa dos militares mostra que o ditador Muammar Gaddafi está cada vez mais isolado até mesmo dentro das suas Forçar Armadas.

Mais cedo, oficiais do Exército líbio na zona de Al Jabal al Akhdar, no nordeste do país, anunciaram que já fazem parte da "revolução do povo", em um vídeo divulgado pelas emissoras de televisão árabes Al Jazeera e Al Arabiya.

"Nós, os oficiais e os soldados das forças armadas na zona de Al Jabal al Akhdar, anunciamos nossa união total à revolução popular", disse um porta-voz militar das Forças Armadas líbias na região.

O porta-voz anunciou ainda o compromisso desses militares em trabalhar para proteger as instalações públicas e privadas na região.

Na véspera, o ministro do Interior líbio e general do Exército, Abdul Fatah Yunis, pediu demissão e incentivou as Forças Armadas a se unirem ao povo em sua luta por legítimas reivindicações, informou a Al Jazeera.

Ao menos 640 pessoas morreram na Líbia nos protestos contra o regime do ditador Muammar Gaddafi desde 14 de fevereiro, anunciou nesta quarta-feira a Federação Internacional para os Direitos Humanos (FIDH).

O número representa mais que o dobro do balanço oficial do governo líbio de 300 mortos.

A FIDH menciona 275 mortos em Trípoli e 230 na cidade de Benghazi, epicentro dos protestos.

Intensos tiroteios foram registrados nesta quarta-feira em Trípoli, enquanto forças leais a Gaddafi apertam o cerco na capital do país.

Manifestantes antigoverno também dizem terem assumido o controle de diversas cidades, um dia depois de o mandatário ter afirmado, em discurso, que morrerá em solo líbio como "mártir".

A indignação internacional aumentou um dia depois de o ditador ter prometido defender seu regime e pedir para partidários que reprimam os manifestantes de oposição.

O governo italiano revelou nesta quarta-feira o temor de que a queda do ditador líbio Muammar Gaddafi possa estimular a partida de milhares de imigrantes ilegais rumo à Itália e outros países europeus como a Grécia.

Já a Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas (Frontex) estima que entre 500 mil e 1,5 milhão de líbios possam pedir refúgio do outro lado do Mediterrâneo.

O chanceler da Itália Franco Frattini alertou em entrevista ao jornal "Corriere della Sera" que a fuga de líbios pode se converter num "êxodo bíblico", sendo uma onda até dez vezes maior do que a crise registrada em 1997 quando refugiados da Albânia migraram rumo ao país.

"Na Líbia, um terço da população não é originária do país, mas subsaariana. Estamos falando de 2,5 milhões de pessoas que, no caso da queda do sistema do país, escaparão porque ficarão sem trabalho. Nem todos virão à Itália. Grécia está muito mais perto de Cirenaica e Benghazi", avaliou o chanceler, acrescentando que a parte leste do país é "terra de ninguém".

"Na Cirenaica, como se sabe, existem tribos e nós não temos ideia de quem são", revelou, destacando que o que se sabe deles é que são perigosos e contam com integrantes da rede terrorista Al Qaeda, e que por isso no fim de 2006 a Itália decidiu fechar seu consulado na região.

A agência da União Europeia (UE) encarregada de guardar as fronteiras do bloco manifestou preocupação com o êxodo de imigrantes ilegais que pode ser ocasionado em meio à crise no norte da África.

"Trata-se de pessoas de origem subsaariana que trabalham na Líbia e o norte da África" e que "se dirigiriam principalmente à Itália, Malta e Grécia", alertou a Frontex em comunicado.

Os ministros de Interior da UE se reunirão na quinta-feira em Bruxelas para debater pela primeira vez as consequências na imigração das revoltas do norte da África.

Além disso, a Comissão Europeia, Frontex e o governo italiano informarão ao resto dos estados-membros sobre a operação Hermes em Lampedusa.

A agência dedica atualmente a maior parte de sua capacidade nessa operação após as revoltas na Tunísia chegaram ao redor de 5,5 mil imigrantes.

"Será a primeira oportunidade que terão os 27 países integrantes da UE de discutir em conselho a crise da imigração e avaliar os seguintes passos a serem dados", informou um porta-voz da Presidência húngara que atualmente comanda o bloco.

Após a queda do ditador da Tunísia Zine el Abidine Ben Ali, na metade de janeiro, mais de 5.000 imigrantes já tentaram entrar na ilha de Lampedusa, na Itália, e barcos com egípcios também já foram apreendidos.

A Itália, porta de entrada por questão geográfica, quer dividir a responsabilidade com o resto da Europa e já pediu a criação de fundo de 100 milhões de euros para cuidar do problema.

O país alega que esses imigrantes não desejam ficar na Itália, mas ir para a França, onde têm família.

Há também a facilidade da língua: o país foi colônia francesa, e a maioria dos tunisianos fala o idioma.

Acordo entre os países da União Europeia determina que imigrantes em busca de asilo devem ficar no país a que chegaram até a solução de seu caso.


* Publicado no UOL às 17:36 hs.

BANISHEVSKIY

Anatoliy Andreyevich Banishevskiy foi um jogador de futebol nascido em Baku, no Azerbaijão, há exatos 65 anos, em 23 de fevereiro de 1946.

Aos 17 anos, iniciou carreira defendendo o Neftyanik Baku, o único clube que iria defender na sua vida, fazendo-o até 1978.

Sendo o Azerbaijão uma das Repúblicas componentes da extinta União Soviética, Banishevskiy serviu à Seleção da União Soviética na Copa do Mundo de 1966, oportunidade em que chegou às semifinais, além das Eurocopas de 1968 (quarto lugar) e de 1972 (vice-campeão).

Ainda com 19 anos, já integrava a Seleção Soviética, recebendo sua primeira convocação em 1965.

Banishevskiy marcaria sete gols nas oito primeiras partidas pela União Soviética, um deles contra o Brasil, no Maracanã, após uma cobrança de tiro de meta pelo goleiro brasileiro Manga na cabeça de Banishevskiy.

O jogo, finalizado em 2 a 2, foi o primeiro resultado positivo dos soviéticos frente a uma seleção sul-americana.


Integrou a equipe da União Soviética que foi à Copa do Mundo de 1966, ao lado do compatriota e colega de clube Edoward Markarov.

Ambos seriam os únicos azerbaijanos a disputarem uma Copa do Mundo pela URSS.

Disputou cinco das seis partidas da União Soviética na competição, com a camisa de número 18.

Marcaria um gol na estreia, contra a Coreia do Norte, no Mundial em que os soviéticos obtiveram sua melhor colocação na competição, um quarto lugar.


No mesmo ano, Banishevskiy, ainda com 20 anos de idade, lideraria o Neftyanik Baku ao terceiro lugar no campeonato soviético.

No ano seguinte, seria eleito o segundo melhor jogador da URSS, atrás de Igor Cislenko.

Sua última competição pela União Soviética, pela qual marcou 19 gols em 50 jogos, seria a Eurocopa de 1968, embora ainda fosse eventualmente convocado até 1972.

Encerrou a carreira em 1978, aos 32 anos, quando o clube ao qual era apegado (de forma que recusou proposta de clubes maiores soviéticos) já se chamava Neftçi Baku.

Atuou ao todo em 288 partidas e marcou 121 gols pelo clube.

Treinou o Neftçi Baku entre 1981 e 1983.

Morreu pobre e solitário em 1997, provocando grande movimentação em Baku, capital do Azerbaijão - agora um país independente - durante seu funeral.

Nos Prêmios do Jubileu da UEFA, seria eleito o melhor jogador do país dos 50 anos da entidade.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O BRASIL RUMO À COPA DE 1982

30 anos.

O segundo jogo do Brasil.

Nas eliminatórias para a Copa de 1982.

Em 22 de fevereiro de 1981.

O Brasil jogava em La Paz contra a Bolívia.

Também era o segundo jogo da Bolívia nas eliminatórias.

Bolívia e Brasil haviam vencido a Venezuela.

Naquela tarde o Brasil alinhou Valdir Peres no gol.

Edevaldo, Oscar, Luizinho e Júnior.

Cerezo, Sócrates, Zico e Tita.

Reinaldo e Éder no ataque.

Telê Santana no banco.

A Bolívia escalou Jimenez no gol.

Trigo, Vaca, Espinosa e Dellano era a zaga.

Villaroel, Romero, Aragonés e Borja no meio.

Reynaldo e Aguillar na frente.

Ramiro Blacutti no banco.

No Estádio Hernando Silles.

O peruano Enrique Labo Revoredo apitou a partida.

Sócrates marcou logo a seis minutos.

O primeiro tempo estava muito fácil para o Brasil.

Reinaldo e Zico chutaram bolas na trave.

O Brasil pressionava mas a bola não entrava.

E aos 27 minutos foi a Bolívia quem marcou.

Aragonés numa bela cabeçada após cobrança de escanteio.

Aproveitando-se de uma saída confusa de Valdir Peres.

E o primeiro tempo terminou empatado.

O jogo no segundo tempo foi mais duro.

O Brasil marcou com Reinaldo aos 15 minutos.

Cinco minutos depois Cerezo foi expulso.

O jogo passou a ficar complicado para o Brasil.

Os times cansaram à medida que chegava o fim do jogo.

E o Brasil chegou à sua segunda vitória nas eliminatórias.

Venezuela e Bolívia se enfrentariam na sequência em Caracas.

Algumas semanas mais tarde.

Brasil e Bolívia se encontrariam novamente no Rio de Janeiro.

Dali a exatamente um mês, em 22 de março.

Essa foi a penúltima vitória brasileira em La Paz.

Outra, apenas 16 anos depois.

Na Final da Copa América 1997.

Em jogo de eliminatória de Copa do Mundo.

Nossa última vitória sobre a Bolívia em La Paz.

Foi em 22 de fevereiro de 1981.

Há exatos 30 anos...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

GADDAFI APARECE NA TV ESTATAL E REITERA QUE AINDA COMANDA O PAÍS *

O ditador da Líbia, Muammar Gaddafi, fez uma breve aparição na TV estatal líbia há pouco e reiterou que ainda está no comando no país.

As declarações chegam após rumores de que ele teria fugido para a Venezuela e no mesmo dia em que jatos de guerra foram enviados a Trípoli com ordens para atirar contra os manifestantes - o que o filho do líder, Seif al Islam, negou horas depois.

As declarações de Gaddafi à TV chegam também horas após militares terem desertado para Malta, após rejeitarem ordens de atirar contra civis.

Mais cedo também houve indicações de que um grupo de soldados emitiu um comunicando chamando a cúpula do Exército a voltar-se contra o ditador.

"Estou em Trípoli e não na Venezuela", disse Muammar Gaddafi à televisão estatal segurando um guarda-chuva.

O pronunciamento, no qual Gaddafi aparece sentado no banco do passageiro de um carro amarelo segurando um guarda-chuva, durou menos de um minuto.

As imagens foram ao ar por volta das 2h na Líbia (21h no horário de Brasília).

"Estou em Trípoli e não na Venezuela", disse o ditador.

Mais cedo o governo líbio já havia refutado informações divulgadas pelo chanceler do Reino Unido, William Hague, indicando que Gaddafi teria partido para a Venezuela.

"O líder está na Líbia, assim como todos os responsáveis do governo (federal) e (dos governos) locais", disse o vice-chanceler da Líbia, Jaled Kaim.

Imagens da TV estatal da Líbia afirmam que grupo de defensores do ditador se reúnem no centro de Trípoli.

Mais cedo uma fonte da cúpula do governo do presidente venezuelano Hugo Chávez também reiterara que Gaddafi não estava a caminho de Caracas, indicando que até o momento "nenhum contato" com o ditador líbio tinha sido feito.

Ainda na tarde desta segunda-feira o chanceler britânico afirmou ter tido acesso a informações que sugeriam que Gaddafi - que enfrenta desde a semana passada protestos contra seu governo em diversas cidades do país - teria deixado Líbia a caminho da Venezuela.

Dois pilotos da Força Aérea da Líbia desertaram na tarde desta segunda-feira e levaram seus caças para Malta, onde disseram às autoridades que haviam recebido ordens para bombardear manifestantes, segundo fontes do governo maltês.

As fontes disseram que os aviadores - ambos com a patente de coronel - decolaram de uma base perto de Trípoli. Eles estão sendo interrogados pela polícia local, e um dos dois pediu asilo político.

Piloto da força aérea líbia caminha perto de jato Mirage que pousou no aeroporto internacional de Malta.

Os dois disseram que decidiram voar para Malta após receberem ordens para atacar manifestantes em Benghazi, segunda maior cidade da Líbia, epicentro dos protestos contra o regime de Muammar Gaddafi.

A polícia maltesa também está interrogando sete passageiros que chegaram da Líbia a bordo de dois helicópteros com matrícula francesa.

Fontes do governo disseram que os helicópteros deixaram a Líbia sem autorização das autoridades locais, e que só um dos sete passageiros - que afirmam ser cidadãos franceses - tinha passaporte.

A chancelaria francesa disse que estava analisando o caso.

Após os relatos de ataques com jatos de guerra sobre a capital da Líbia, Seif al Islam, filho de Gaddafi, afirmou à TV estatal que os aviões das Forças Armadas do país bombardearam depósitos de armas situados em regiões afastadas das zonas urbanas e não abriram fogo contra os civis que protestavam nas ruas de Trípoli.

A televisão líbia assegurou que al Islam refutou "as informações segundo as quais as Forças Armadas bombardearam as cidades de Trípoli e Benghazi".

Um insulto no mundo árabe, imagem de ditador é atacada com sapato em protesto na Embaixada da Líbia no Cairo

A emissora reproduziu o comunicado do filho do ditador.

"As Forças Armadas bombardearam depósitos de armas situados em regiões afastadas das concentrações urbanas para evitar que os grupos que participam dos distúrbios possam conseguir armas", assegurou Seif al Islam à agência oficial líbia "Jana", segundo a TV estatal.

"A missão das Forças Armadas é proteger o país e não disparar sobre o povo", acrescentou o al Islam, que no domingo tinha advertido que o Exército "permanecerá fiel à Líbia" e que "destruirá aos que realizarem um complô contra o país".

Em discurso televisionado que desencadeou ainda mais a fúria dos manifestantes, o considerado até agora provável sucessor de Gaddafi disse na noite de domingo que "se o caos chegar, em vez de chorar pelos 80 mortos nos últimos dias, choraremos por centenas de milhares de nossos irmãos e seremos obrigados a fugir de nosso país".

Mais cedo, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse que é hora de o regime de Gaddafi interromper o "banho de sangue inaceitável" no país, ao qual "o mundo observa alarmado".

"O mundo observa alarmado a situação na Líbia" e os Estados Unidos "se unem à comunidade internacional para condenar firmemente a violência", afirmou.

Já o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, pediu nesta segunda-feira por telefone ao ditador líbio que "cesse imediatamente" a escalada de violência que está ocorrendo no país.

Ban manteve "uma extensa conversa telefônica" com Gaddafi, a quem expressou sua "profunda preocupação pelo aumento da violência e ressaltou que deve parar imediatamente", indicou a ONU por meio de um comunicado de imprensa.

O Itamaraty emitiu nesta segunda-feira uma nota em que cobra das autoridades da Líbia medidas para preservar a segurança e a livre circulação de estrangeiros.

"O governo brasileiro insta as autoridades líbias a tomarem medidas no sentido de preservar a segurança e a livre circulação dos estrangeiros que se encontram no país. O governo brasileiro tem a expectativa de que as autoridades líbias deem atenção urgente à necessidade de garantir a segurança na retirada dos cidadãos brasileiros que se encontram nas cidades de Trípoli e Bengazi", diz o Itamaraty.

Os telefones de contato da Embaixada do Brasil em Trípoli são: 00xx218 (91) 881-2437 ou 729-3460 ou 322-3151.

A empreiteira brasileira Odebrecht, que emprega 5.000 funcionários líbios e de variados países em diferentes obras em andamento na Líbia, afirmou em comunicado que trabalha para retirar 187 brasileiros atualmente impossibilitados de deixar o país.

O resgate deve ocorrer por meio de voos de carreira e aviões fretados.

Não há indicação de prazo para a chegada do grupo ao Brasil.

Ao menos 600 brasileiros encontram-se atualmente no país, que vive intensos protestos contra o ditador Muammar Gaddafi, há 42 anos no poder, e que até o momento já deixaram 233 mortos.

Além da empreiteira, a construtora Queiroz Galvão mantêm 130 funcionários brasileiros no país e a Petrobras também tem empregados na Líbia.

A assessoria de imprensa da petroleira estatal limitou-se a informar que um comunicado sobre a situação deve ser emitido ainda nesta segunda-feira.

Já a Queiroz Galvão relatou mais cedo à agência Brasil que todos os funcionários "estão bem" e aguardam para seguir viagem em direção a Trípoli, capital líbia.

O grupo trabalha em Benghazi, cidade que registra os protestos mais violentos.

Desde ontem (20), o embaixador do Brasil na Líbia, George Ney Fernandes, aguarda autorização, pedida ao governo do ditador Muammar Gaddafi para um avião fretado pela construtora pousar no aeroporto de Benghazi.

Porém, a autorização ainda não foi concedida.

"A Queiroz Galvão informa que atualmente tem 130 colaboradores brasileiros trabalhando em projetos e obras na Líbia. Todos estão bem e está sendo providenciada sua transferência de Benghazi para Trípoli, capital do país", diz a nota da construtora.

* Publicado no UOL às 21:23 hs.

MISSÃO LÍBIA NA ONU ABANDONA REGIME PARA APOIAR REVOLTA *

A missão líbia na ONU anunciou a ruptura da relação com o regime de seu país para apoiar os manifestantes, anunciou nesta segunda-feira o jornal "Los Angeles Times".

Os diplomatas, com a exceção do embaixador, tomaram esta decisão para se distanciar do governo de Muammar Gaddafi "devido às agressões do regime contra o povo líbio", destacou Adam Tarbah, um dos representantes líbios consultados pelo jornal.

"Sabemos que isso colocará nossa família em perigo, mas de todo modo, já estão em perigo", completou Tarbah.

O diplomata fez alusão ao discurso feito na noite de domingo pelo filho de Gaddafi, Saif-al-Islam, que prometeu "combater até a última bala" para colocar fim às manifestações, explicou Tarbah.

"Ele incitou a guerra civil", afirmou o diplomata líbio.

"Foi vergonhoso".

A violência na Líbia já afeta a capital, Trípoli, onde diversos edifícios públicos foram incendiados na noite deste domingo para segunda-feira, quando o filho de Gaddafi ameaçou o país com derramamento de sangue.

Até agora, ao menos 233 pessoas morreram nos protestos, segundo uma contagem da organização Human Rights Watch, para quem 60 foram mortos no domingo em Benghazi, a segunda maior cidade do país e centro da revolta popular desde 15 de fevereiro.

A Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) relatou que manifestantes antirregime assumiram o controle de cidades líbias e que militares estão desertando.

"Muitas cidades foram tomadas, principalmente no leste. Os militares estão debandando", declarou a presidente da FIDH, Souhayr Belhassen, citando principalmente Benghazi, reduto da oposição, e Syrta, cidade natal de Gaddafi.

A emissora de TV NTV, citando um trabalhador turco, informou que a cidade de Jalu, localizada cerca de 400 quilômetros ao sul de Benghazi, também foi controlada pelos opositores do regime.

"O controle está totalmente nas mãos da população. Não há forças de segurança, não há polícia. Estamos sujeitos à vontade e ao controle do povo", relatou Mustafa Karaoglu, que trabalha na cidade - de cerca de 3.500 habitantes -, onde um grupo de trabalhadores estrangeiros se mantém reclusos em seus locais de trabalho.

Benghazi, onde os protestos começaram na semana passada após a prisão de um advogado de direitos humanos e onde dezenas de pessoas foram mortas por forças de segurança, está efetivamente sob controle dos manifestantes, de acordo com alguns moradores da localidade.

O governo de Gaddafi voltou a reprimir duramente os manifestantes que pedem sua renúncia e atacou, com aviões militares que dispararam munição real, multidões que se reuniram na capital da Líbia, Trípoli, para protestar, informou nesta segunda-feira a emissora de TV árabe Al Jazeera.

Segundo especialistas, a ação poderia significar que o regime do ditador está perto do fim.

A informação foi passada por um cidadão líbio, Soula al Balaazi - que se diz um ativista da oposição -, que afirmou à TV por telefone que aviões de guerra da força aérea do país bombardeou "alguns locais de Trípoli".

No entanto, não foi possível confirmar a informação de forma independente.

Um analista da consultoria Control Risks, com sede em Londres, disse que o uso de aviões militares contra seu próprio povo indica que o fim pode estar próximo para Gaddafi.

"Isso realmente parecem ser atos derradeiros, desesperados. Se você está bombeando sua própria capital, é realmente difícil ver como você pode sobreviver", afirmou Julien Barnes-Dacey, analista da consultoria para o Oriente Médio.

"Na Líbia, mais do que em qualquer outro país da região, há um prospecto de violência grave e conflito aberto."

* Publicado no UOL às 17:52 hs.

CBF RECONHECE TÍTULO DO FLA *

A CBF, através de Resolução da Presidência nº 02/2011, reconheceu o Sport Club Recife e o Clube de Regatas do Flamengo como campeões brasileiros de 1987.

Na mesma Resolução, foram reconhecidos como vice-campeões brasileiros de 1987 o Guarani Futebol Clube e o Sport Club Internacional de Porto Alegre.

A decisão da CBF foi comunicada pelo presidente Ricardo Teixeira à presidente do Flamengo Patrícia Amorim em encontro que aconteceu nesta segunda-feira, na sede da entidade.

Do encontro participaram ainda o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro Rubens Lopes e diretores do Flamengo.

A presidente Patrícia Amorim agradeceu ao presidente Ricardo Teixeira e ao departamento jurídico da CBF pelo reconhecimento de um título que o clube conquistou no campo, de fato, e agora, o tem de direito.

"Esse é um dia histórico para o Flamengo. Quero homenagear todos os jogadores da campanha de 1987 e o técnico Carlinhos. Vocês são agora os legítimos campeões de 87, e o Flamengo tem de direito seis títulos de campeão brasileiro.

O presidente Ricardo Teixeira esclareceu que o reconhecimento do título de 1987 a Sport e Flamengo segue a linha traçada quando da recomposição histórica feita no final do ano passado pela CBF, representada pela unificação dos títulos de campeão brasileiro que beneficiou Santos, Palmeiras, Cruzeiro, Fluminense e Bahia.

Ainda segundo o presidente da CBF, a decisão, tomada depois de novos e convincentes argumentos apresentados pelo departamento jurídico do Flamengo, contempla ainda o reconhecimento de que em 1987 houve dois campeonatos brasileiros, que tiveram Sport e Flamengo como campeões.

Ricardo Teixeira enfatizou ainda o fato de que não houve prejuízo esportivo ao clube pernambucano, que foi inclusive, ao lado do vice-campeão Guarani, o representante brasileiro na Taça Libertadores de 1988.


* Publicado no site da CBF às 12:52 hs.